quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Qual o melhor caminho?

A vida é um processo de caminhada e todo aquele que caminha deve ter em mente um destino. Qual o destino que você escolheu para a sua vida? Ao término da sua caminhada onde você se encontrará?
Tenho certeza que você, assim como eu e todo o resto da humanidade, não conhece o pós morte. O que de fato há são muitas indagações, cogitações e charlatões inventando histórias. Mas o único que certamente tem respostas para o que sucederá após a morte é Jesus Cristo. Não que você deva acreditar em  mim ou nEle, contudo se tiver de escolher em quem acreditar, sugiro que seja em quem tem histórico indubitável de relação íntima com Deus.  O que quero dizer é que se você quer exercer a liberdade de escolher o caminho, primeiro você precisa decidir o destino. E se você quer ir para o céu e não para o inferno então sua única opção é seguir a trilha de Jesus. Claro que você também tem a opção de não acreditar nem no céu nem no inferno e permanecer ignorando o seu direito de escolha, mas sendo este o caso creio que você está escolhendo pagar para ver e vai acabar pegando o ônibus pela cor e ficando perdido o que no final não será um bom lugar. 
Então dentre suas opções qual lhe parece melhor? 
Cuidado! Tem muita gente pegando carona em viagens que nem sabem onde vai dar! Outros tanto escolhendo travessias que lhe parecem mais fáceis ou confortáveis, desconsiderando o fim da linha.

"Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá."

Gálatas 6:7

Todo aquele que diz conhecer, amar e obedecer a Deus deve saber que está fazendo uma aliança com Ele e que esta só pode ser estabelecida através de Seu Filho Jesus, comprometendo-se a cumprir os mandamentos da Sagrada Escritura, seguir os mesmos passos, imitando e obedecendo a Cristo que disse:

aos apóstolos..."Pregai o evangelho a toda criatura!";

ao mancebo de qualidade..."Segue-me!";

aos discípulos e seguidores..."Buscai primeiro o reino de Deus!";e

aos pecadores..."Arrependei-vos!".

Entre todos estes alguns se convenceram de que Jesus era o caminho, mas não o seguiram; outros converteram seus caminhos aos de Jesus, porém não permaneceram, muitos foram os que seguiram enquanto era conveniente mas nunca creram em seu poder e autoridade para curar e salvar e um grupo menor, mas não inferior, realmente fizeram tudo o que Jesus recomendou e ensinou.

Agora te pergunto... Para cada grupo citado acima e diante das escolhas feitas, qual é o grupo que você considera ter tomado o caminho certo?

Reflita e decida por si mesmo para onde quer ir e como vai chegar!

Deus abençoe a todos!
Miss. Débora Morais



sábado, 9 de fevereiro de 2019

Eternidade - Um presente de Deus

"Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.
Já tenho entendido que não há coisa melhor para eles do que alegrar-se e fazer bem na sua vida;
E também que todo o homem coma e beba, e goze do bem de todo o seu trabalho; isto é um dom de Deus.
Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele.
O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou."

Eclesiastes 3:11-15


Alegrias...Buscai pela alegria diariamente, ou seja, por atividades diárias que satisfaçam necessidades urgentes em detrimento das necessidades futuras ou a longo prazo.

Eternidade... tempo indeterminado ou infinito? Para os que não creem em Deus e na ressurreição do espírito é um tempo indeterminado para os que creem é infinito. Por isso mesmo a porção de alegria de uns irá se acabar embora eles não saibam quando. Contudo os que creem na vida eterna ao lado de Deus não se limitam ao momento presente, pois enxergam o presente de Deus para todos os momentos.

Assim que tenho visto que não há coisa melhor do que alegrar-se o homem nas suas obras, porque essa é a sua porção; pois quem o fará voltar para ver o que será depois dele?

Eclesiastes 3:22


E não haverá volta! Por isso vamos dançar conforme a música: vamos viver o que há para viver? Vamos nos permitir?
Você se alegra com o bem que faz na sua vida? Quais seriam estes bens? Casamento, sua vida religiosa, seus costumes, suas escolhas?
O sábio rei Salomão cita aquilo que nos faz bem e não desagrada a Deus: comer, beber e gozar do fruto do seu trabalho. Tudo isso é permitido! Não é pecado! É dom de Deus!
A palavra "dom" significa dádiva ou presente. E assim como todo presente depois de entregue é usado como queira, então usar o tempo ou os momentos da eternidade em que acreditamos para alegrar-se com pequenas coisas como comer, beber ou usufruir  o fruto do trabalho é uma escolha do presenteado. Porém essa é uma  tarefa que só se mantém quando reconhecemos como se ganhou ou conquistou tal presente.
Quando uma criança ganha um presente, mas não o compreende, não sabe como usá-lo ou não tem ideia de valor ou esforço para obtê-lo então ela não se alegra, desfaz de quem a presenteou, deixa o presente de lado e até o usa, mas sem zelo ou apreço. Assim é o homem gastando o seu tempo com o que o destrói ou fazendo do seu tempo o que quer sem nunca reconhecer quem o presenteou.

Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.
Tiago 1:17

Deus tem e nos dá o dom perfeito, no qual não há o que acrescentar ou tirar.
Tudo que Ele fez durará eternamente... não há nada feito pelo homem e sim modificado por ele. Mas o que Deus fez não deixa de existir, nem mesmo o homem, porque a eternidade existe, acreditemos ou não, porém o homem muda a direção de onde passará a sua eternidade.
Deus faz tudo durar eternamente para que o homem o tema, ou seja, o homem não tem o controle sobre a criação de Deus, ainda que a observe, a entenda, e a modifique em alguns casos, nada deixa de de existir por vontade do homem. Isto para que ele saiba que é limitado e tema quem realmente tem o controle de tudo.

Como está escrito:
O que é já foi e o que há de ser também já foi. Mas Deus fará renovar-se o que já passou e pedirá contas do que já fizemos. todavia os propósitos do homem permanecem os mesmos: controlar o tempo de Deus!

Deus abençoe a todos!
Miss Débora Morais

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Eternidade - Um presente de Deus

Texto 1/2

Tudo fez formoso em seu tempo; também pôs o mundo no coração do homem, sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim.

Eclesiastes 3:11


Deus fez tudo e tudo era bom e Ele levou apenas 6 dias para fazer terra, céu, mares, astros, estrelas, plantas e árvores, animais de todas as espécies e o homem,como está escrito em Gênesis 1.

Em Eclesiastes diz-se que Deus fez tudo formoso e fez no tempo dEle. Vimos que Ele é capaz de fazer muitas coisas em curto espaço de tempo. O que pode ser então da nossa vida na eternidade ao lado do Criador?

A tradução do hebraico para a palavra eternidade é olam,em algumas bíblias esta mesma palavra é traduzida como mundo. Logo em algumas versões leremos que Deus colocou o mundo no coração do homem e em outras versões leremos eternidade. Mas o que isso quer dizer?

O desejo nasce no coração, mas não no órgão e sim no íntimo, no mais profundo dos sentimentos - na alma - o desejar está intimamente ligado, por sua vez, ao "não ter". Afinal, não desejamos o que já temos.
O homem perdeu a eternidade no momento em que escolheu conhecer o bem e o mal (leia Gênesis3:22-24). Perdeu também o direito de permanecer neste mundo tendo a presença de Deus, visto que tudo está contaminado pelo pecado e pela influencia do inimigo de Deus. Precisamos retornar ao Reino ao local onde Deus habita. E mesmo antes que criasse tudo o Senhor já sabia o que aconteceria e como nos levaria de volta ao lugar de sua habitação.

Contudo somos limitados. Não temos respostas para tudo. Não sabemos o tempo exato em que cada coisa irá acontecer.
Qual de nós pode dizer o que Deus está pensando? Será que Ele fará o que eu pedi? Quantos cientistas tentam comprovar o surgimento do mundo e do ser humano com outras alternativas que não a criação?
Quantos adivinhos tentam prever o futuro e determinar o fim para tudo e todos?

Mas como diz o fim do versículo 11 de Eclesiastes 3, o homem não pode descobrir a obra de Deus.

A busca incessante do homem por satisfação revela a insatisfação constante devido ao coração sempre desejoso. Porém muitos não percebem que a falta é de algo maior e mais difícil - a paz espiritual. Então o homem tenta suprir essa recorrente necessidade da eternidade fazendo das coisas materiais (riquezas, bens, etc.) suas promessas de satisfação eterna transferindo valor espiritual para bens materiais.
Há inclusive uma confusão em buscar valores eternos já aqui nesta vida, na sua imanente ou inseparável percepção de viver para sempre, as vezes ignorando o envelhecimento ou tentando retardá-lo, mas já há também cientistas que buscam fórmulas que ofereçam a imortalidade. Porém  a bíblia diz que Deus fez tudo a seu tempo bem como destruirá.Então de que adiantaria se tal fórmula realmente existisse?

E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.
Apocalipse 21:1


Além disso já vimos que seria uma vida sempre frustrada pela falta da verdadeira eternidade que é a vida no Reino de Deus e na presença dEle. Logo se há uma possibilidade do homem  viver aqui na terra sem sentir esta falta é vivendo em Cristo. Dessa forma esperamos pela eternidade crendo na ressurreição com Cristo. Porém essa é uma promessa que só pode ser vivida e esperada pela fé na Palavra de Deus, porque não há conhecimento, nem esforço do homem que revele o tempo ou a vontade de Deus. É preciso apenas confiar.

Então vi toda a obra de Deus, que o homem não pode perceber, a obra que se faz debaixo do sol; por mais que trabalhe o homem para a descobrir, não a achará; e, ainda que diga o sábio que a conhece, nem por isso a poderá compreender.
Eclesiastes 8:17


Deus abençoe a todos!
Miss Débora Morais

sábado, 2 de fevereiro de 2019

A religião entre Deus, Jesus, Maria e você!

Texto 2/2

A verdadeira religião


A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo.
Tiago 1:27

Em resumo atender aos necessitados e fazer a vontade de Deus e não a nossa ou da sociedade que nos rodeia. Maria foi usada por Deus, pois em obediência se pôs nessa condição. Ela esteve na condição de serva do Senhor suprindo as necessidades de seu filho, mas também foi confortada e amparada pelo mestre Jesus quando sofria pela condenação dele. Maria representava uma necessitada diante do Messias e não uma secretária ou patroa do mesmo. Não era ela quem tinha autoridade sobre Jesus e sim o contrário. O clamor de Cristo entregando aquela mulher aos cuidados de seu discípulo, João nos prova que Ele, mesmo sofrendo, ainda estava regendo os próximos atos de seus seguidores.
Jesus não foi indiferente a dor de Maria, nem a desrespeitou chamando-a "mulher" em vez de mãe. Assim como não o fez no episódio das bodas.


Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.


Talvez ele estivesse mostrando através desse discurso uma separação que ela ainda não enxergara entre o filho de Maria e o Filho de Deus, para dessa forma deixar claro que Ele fazia a vontade do Pai que está no céu, ainda que essa não fosse a vontade de Maria ou dos homens. Afinal de contas Jesus não obedece a Maria e sim a Deus. O que não lhe incentiva a desobedecer sua mãe e sim a entender que a vontade de Deus é soberana sobre todas as outras. Até porque enquanto esteve entre os homens, Jesus sempre demonstrou respeito e zelo por sua mãe desde que essa não o impelisse a fazer algo contra a vontade de Deus.

Porquanto, qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe.

A prova do cuidado de Jesus com sua mãe foi que ele confiou-a aos cuidados do discípulo "amado". Este que assim se intitulou nas Escrituras não demonstra favoritismo de Jesus para com ele, e sim a certeza de que era amado por Cristo, um amor demonstrado lá na cruz.
Sendo assim tal discípulo não poderia negar-se a receber Maria como sua mãe e zelar por ela como foi ordenado pelo seu mestre.  
Então se sabemos que a verdadeira religião é também ajudar aos necessitados, por que ficamos de braços cruzados ou nos jugamos capazes de rejeitar tal missão?
Por que nos esquivamos de imitar Jesus, ou até mesmo João, esquecendo nossas dores para levantar nossa voz por alguém que precise ou dizer sim para quem vem até nós?

A força de Jesus para esquecer sua dor naquele momento e pensar em Maria, assim como a coragem de João para estar ao pé da cruz correndo risco de ser pego para apoiar Maria naquele momento de dor, são exemplos de atitudes inspiradas por Deus!

O que o amor de Deus tem lhe inspirado a fazer?

Você está aos pés da cruz vendo o sacrifício de Jesus e ajudando Maria, ou aos pés de Maria adorando-a  e esquecendo quem se sacrificou por você?

Lembre-se de quem foi o sacrifício para que você tenha vida eterna! 

Deus abençoe a todos!
Miss Débora Morais

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

A religião entre Deus, Jesus, Maria e você!

Texto 1/2

Jesus Filho de Deus e Maria filha de Deus

Esta mulher foi sim bem-aventurada, bendita, abençoada ou especial como queira chamar. Posso até afirmar que foi santa. Só não posso concordar com quem acredita que ela é divina ou divindade. E não discordo por birra ou questões religiosas, discordo por fé na Palavra de Deus. Afinal não há uma só escritura ou referência bíblica que mencione Maria como salvadora, messias, vinda do céu ou mestra de Jesus. Tudo que há são relatos do que realmente existiu: uma mulher integra e virtuosa que achou graça diante de Deus para carregar em seu ventre o fruto do Espírito Santo, o verbo encarnado, o Filho de Deus que precisava nascer e morrer como homem e nesse intervalo nos mostrar como estarmos na presença do Criador. Isso não diminui Maria nem sua importância no projeto de Salvação, mas também não faz dela nosso veículo ou meio de chegar a Jesus Cristo tão pouco a Deus. A propósito nem ela, nem nenhum outro ser humano que tenha convivido ou não com Cristo tem o papel de nos levar a Deus. Este é ofício exclusivo do Filho de Deus e através dele também nos tornamos "filhos".

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.(João 1:12,13


A prova da relevância de Maria para o próprio Jesus foi a preocupação que Ele demonstrou por ela quando já estava na cruz no seu 3º clamor:




Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho.
Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.
(João 19:26,27)


Na dor, na eminência da morte carnal, Jesus ainda fala em alta voz. Por que?
Ele expressou nos seus clamores na cruz: misericórdia; ofertou conforto; atendeu aos necessitados; demonstrou confiança em Deus; cumpriu as Escrituras; declarou que tudo que fez era a vontade de Deus; e ensinou a entregarmos o espírito a Deus crendo na ressurreição e na vida eterna. 

Os evangelhos segundo Mateus, Lucas e Marcos abordam o mesmo ponto de vista, eles apresentam Jesus como uma figura humana e oferecem informações históricas e relatos de fatos milagrosos. Mas o evangelho segundo João é chamado por historiadores de "evangelho espiritual", pois trata da natureza divina de Jesus e de seus atos de amor pela humanidade, atos pelos quais ninguém conseguiu igualar-se a Ele, por mais santo(a) que buscasse ser, visto que ele foi a própria manifestação do amor de Deus.

Mas os homens rejeitam o amor de Deus: por vícios, por vaidades, por riquezas materiais e ou por orgulho. E aceitam todo tipo de substituto mais flexível ou permissivo para substituir o insubstituível.

É preciso religar-se a Deus!
Religião = do latim relligare (ligar-se a algo; ligar-se a um deus).

A religação do homem a Deus é Jesus Cristo!


Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
Deus abençoe a todos!
Miss Débora Morais
  

sábado, 26 de janeiro de 2019

O que é gratidão?



Nós não temos nada do que o Senhor tenha necessidade. Mas devemos oferecer nossa vida e o nosso serviço para fazer a  Sua vontade e zelar por tudo que é feito ou administrado em prol de fazer as pessoas conhecê-lO. Isso porque nós necessitamos ser gratos.
No mundo a maioria das relações são por conveniência. Nesses relacionamentos as pessoas se ajudam por verem a possibilidade de um dia o outro também lhe servir de alguma forma. Ainda que não veja de imediato a retribuição, a crença de que um dia você terá o direito de cobrar aquele favor, no mínimo, é um incentivo. Algumas pessoas fazem do mesmo jeito com Deus.Resultado de imagem para gratidão
O engano é confundir a espera por gratidão com a expectativa por retribuição mediante cobrança de favor ou por acreditar em seu merecimento. Pois no primeiro caso, simplesmente se reconhece o que foi feito por você o que gera o desejo de fazer o bem ao outro também. Contrário ao segundo, em que você calcula as suas ações esperando uma reação precisa. Portanto não devemos fazer o bem ao próximo pensando em nossas necessidades ou com segundas intenções, tão pouco devemos fazer algo direcionado a Deus esperando retribuição por nosso merecimento.

Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.(2 Co 9:7)

Há também casos em que pessoas fazem muito por nós a vida toda e na primeira vez em que esta nos desaponta condenamos e esquecemos tudo que ela pode ter feito ou de como sua amizade já nos serviu. Dessa mesma forma, muitas pessoas agem com Deus. Porém não é assim que Ele age com a gente. Deus não nos cobra favores. Ele espera gratidão sincera de cada um de nós por tudo que Ele fez e faz, não por nosso merecimento, mas apenas pela Sua graça e misericórdia. Afinal, se Ele nos cobrasse não teríamos, jamais, como pagá-lO. Foi exatamente por isso que quem pagou por nossas falhas com Deus e nos reaproximou dEle foi Jesus Cristo, único capaz de saldar esta dívida.

O que é ser grato?

É agradar ao outro, não necessariamente com dinheiro ou bens, mas com atitudes que demonstrem o amor e o querer bem. Por isso Jesus nos ensinou os dois requisitos básicos para nos manter em alta conta com Deus, embora sejamos falhos.

E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.(Mat 22:38-40)


Se em tudo que fizermos, estivermos amando a Deus sobre todas as coisas e tratando os outros com o mesmo amor que gostaríamos de ser tratados, logo estaremos agradando a Deus.

Deus abençoe a todos!
Miss Débora Morais

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Tudo coopera para o bem!

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Romanos 8:28

Será que sabemos? Será que acreditamos? Os pecados também cooperam para o nosso bem? Essas "coisas" são do homem ou de Deus? Bom! O que sabemos é que os pecados nos afastam de Deus, mas por meio de suas consequências  reconhecemos a falta que Ele faz em nossa vida. Sabemos que temos planos para o futuro, mas que os de Deus são maiores e melhores que os nossos. Além de termos total consciência de que não temos nenhum controle sobre as "coisas" que o Senhor faz.
O versículo diz, em outras palavras, que tudo será proveitoso para um grupo de pessoas que correspondem a algumas características específicas. Quem são os que amam a Deus?
Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama. João 14:21
Contrários aqueles que não amam.
Apesar de tudo, até muitos dos principais creram nele; mas não o confessavam por causa dos fariseus, para não serem expulsos da sinagoga.
Porque amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus.

Além de amarem a Deus, são chamados, mas é preciso cumprir o propósito de Deus, o que geralmente não é o que queremos fazer ou a nossa primeira opção. A exemplo disso temos o profeta Jonas que amava e obedecia a Deus até o momento em que foi enviado para levar a promessa de perdão e salvação para uma nação que vinha desobedecendo e muito aos mandamentos. 
Jonas seria apenas um mensageiro e sua mensagem era boa: salvação mediante arrependimento. Porém ele se recusou e tomou outro rumo por julgar que aquele povo não merecia o perdão de Deus. Por sua desobediência Jonas teve momentos difíceis! Enfrentou tempestade, foi jogado no mar e passou três dias e três noites no ventre da baleia e devido essas dificuldades, percebeu e confessou que estava errado, clamou pela misericórdia de Deus e recebeu o perdão que provou a ele que: o que o Senhor faz por nós não é por nosso merecimento, mas por Sua Graça!
Resultado de imagem para jonas na baleiaPortanto Jonas entendeu que o povo de Nínive não seria salvo e perdoado por que mereciam e sim porque Deus é misericordioso. Assim como nós não fomos chamados para levar a Palavra da Salvação para aqueles que julgamos merecedores, pois fomos chamados segundo o propósito de Deus. Então prossigamos em amar e confessar nosso amor ao Senhor Jesus. Cumpramos os mandamentos. Deixemos de fugir daquilo que Deus preparou para nós e coloquemos nossa vida a serviço dEle. Afinal não importa o rumo que queiramos tomar vamos acabar percebendo mais cedo ou mais tarde que Deus tem algo muito maior preparado para nós, bem como sabemos que é melhor cumprir o propósito de Deus do que enfrentar tempestades e baleias.
Deus abençoe a todos!
Miss Débora Morais 

Qual o melhor caminho?

A vida é um processo de caminhada e todo aquele que caminha deve ter em mente um destino. Qual o destino que você escolheu para a sua vi...